AQUISIÇÃO DO PORTUGUÊS COMO SEGUNDA LÍNGUA PARA SURDO: história de entraves e conquistas no Brasil

  • Rosilda Maria Araújo Silva dos Santos UNICAP-Universidade Católica de Pernambuco
  • Wanilda Maria Alves Cavalcanti UNICAP- Universidade Católica de Pernambuco
Palavras-chave: Libras, Inclusão, Surdez

Resumo

Considerando o contexto histórico da Educação Inclusiva, marcada pelas mais variadas formas de desrespeito, marginalização e preconceito voltados para a pessoa com deficiência, entende-se que esta pauta seja necessária na discussão, pois ainda há muito a se fazer, já que os surdos continuam enfrentando entraves de aceitação na educação e na sociedade devido a todo contexto, apesar de terem convivido por muito tempo com tantos estigmas de incapacidade e impotência. Este estudo objetiva socializar resultados de uma breve investigação sobre o percurso histórico da educação dos surdos no Brasil indicando seus possíveis entraves e conquistas, uma vez que o resgate histórico orienta o conhecimento de como se sucedeu a educação especial, inclusive, no surgimento de organizações a partir de 1930 extremamente relevantes para fortalecer os direitos das pessoas deficientes. Para isso, foi realizado, como metodologia, um levantamento bibliográfico de caráter exploratório a fim de desenhar marcos históricos, entre 1854 à atualidade, obtendo dados para uma análise qualitativa, pois esclarecerá pontos que contribuem para formação da identidade dos surdos. Como resultado, percebeu-se que a trajetória histórica da educação inclusiva no Brasil expõe as lacunas entre a legislação, políticas públicas e sua efetividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARANHA, M. S. F. Projeto Escola Viva: garantindo acesso e permanência de todos os alunos na escola: necessidades educacionais especiais dos alunos. Brasília: 2005. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/visaohistorica.pdf>. Acesso em: 03 mar. 2021.
BIANCHETTI, L. Aspectos históricos da apreensão e da educação dos considerados deficientes. In: BIANCHETTI, L; FREIRE, I. M. (Org.) Um olhar sobre a diferença: interação, trabalho e cidadania. Campinas: Papirus, 1998.
BRASIL. Direito à educação: subsídios para a gestão dos sistemas educacionais. Orientações gerais e marcos legais. Brasília: 2004.
_______. Lei nº 10.436 de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS e dá outras providências. Publicada no Diário Oficial da União em 24 de abril de 2002.
BUENO, J. G. S. A educação inclusiva e as novas exigências para a formação de professores: algumas considerações. In: BICUDO, M. A.; SILVA Jr., C. A. (Orgs.) Formação de educadores e avaliação educacional. São Paulo: UNESP, 1999.
DIAS, R. (org). Língua brasileira de sinais - LIBRAS. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2015.
FERNANDES, S. Letramento na educação bilíngue para surdos. In: BERBERIAN, A. P.; ANGELIS, C. C.M. de; MASSI, G. (orgs.). Letramento: referências sem saúde e educação. São Paulo: Plexus, 2006.
GARCIA, R. M. C. Política de educação inclusiva e trabalho pedagógico: uma análise do modelo de educação especial na educação básica. Anais. IV Seminário Nacional de Pesquisa em Educação Especial: Conhecimento & Margens. Gramado: RS, 2008.
GOÉS, M. C. R. de. Com quem as crianças surdas dialogam em sinais? In: ______; LACERDA, C. B. F. de. Surdez processos educativos e subjetividade. São Paulo: Lovise, 2000.
GOLDFELD, M. A criança surda: linguagem e cognição numa perspectiva sociointeracionista. 2 ed. São Paulo: Plexus Editora, 2002. In: OLIVEIRA, L. N. de S; SILVA, G. O. da. Libras: Filosofias e Políticas da Educação dos Surdos. Natal: IFRN, 2014.
JANNUZZI, G. de M. A educação do deficiente no Brasil: dos primórdios ao início do século XXI. Campinas, SP: Autores Associados, 2017. [Livro eletrônico] Coleção Educação Contemporânea.
KELMAN, C. A. Significação e aprendizagem do aluno surdo. In MARTÍNEZ, A. M.; TACCA, M. C. V. R. (Orgs.) Possibilidades de aprendizagem: ações pedagógicas para alunos com dificuldade e deficiência. Campinas: Unix, 2011.
LACERDA, C. B. F. de; SANTOS, L. F. dos; MARTINS, V. R. de O. Libras aspectos fundamentais. Curitiba: Intersaberes. 2019.
LANGUE, C. Bilíngues têm vantagens no aprendizado. Matéria publicada no dia 13/08/2012, sobre o Bilinguismo com vantagens na aprendizagem.
LEICHSENRING, T. L. Educação de surdos brasileiros: de Dom Pedro II aos desafios atuais. XVIII Encontro Nacional de Ensino de Química (XVIII ENEQ) Florianópolis, SC, Brasil – 25 a 28 de julho de 2016. Disponível em: http://www.eneq2016.ufsc.br/anais/resumos/R1932-1.pdf
MANTOAN, M. T. E. Caminhos Pedagógicos da Educação Inclusiva. In: GAIO, R; MENEGUETTI, R. G. K. Caminhos Pedagógicos da Educação Especial. 3 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.
MAZZOTTA, M. J. S. Educação especial no Brasil: história e políticas públicas. São Paulo: Cortez, 1996.
MORAIS, M. P. de; MARTINS, V. R. de O. Educação bilíngue inclusiva para surdos como espaço de resistência. Pro-Posições, vol.31 Campinas, 2020. Epub Apr 22, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-73072020000100510&script=sci_arttext (acessado em: 09.05.2021)
OLIVEIRA, L. N. de S; SILVA, G. O. da. Libras: Filosofias e Políticas da Educação dos Surdos. Natal: IFRN, 2014.
QUADROS, R. M. de. Educação de surdos: a aquisição da linguagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997a.
__________________. Políticas linguísticas e educação de surdos em Santa Catarina: espaço de negociações. Cad. CEDES, v. 26, n. 69, p. 141-161, 2006.
__________________. Letras LIBRAS: ontem, hoje e amanhã. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2014.
SOARES, M. A. L. A educação do surdo no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados; Bragança Paulista, SP: EDUSF, 1999.
VIDOR, G. PROJETO DE RESOLUÇÃO nº 1409/2006. 12 de abril de 2006. Disponível em: http://alerjln1.alerj.rj.gov.br/scpro0307.nsf/a58b3c8057a8141f83256cee006ab66b/84526b8689571d7f8325714e005ff777? OpenDocument
VYGOTSKY, L. S. Fundamentos de defectologia. Cidade de Havana: Pueblo y Educacion, 1989. (V vol.)
WERNECK, C. Ninguém mais vai ser bonzinho na sociedade inclusiva. Rio de Janeiro: WVA, 1997.
Publicado
2021-09-13
Como Citar
Santos, R., & Cavalcanti, W. . (2021). AQUISIÇÃO DO PORTUGUÊS COMO SEGUNDA LÍNGUA PARA SURDO: história de entraves e conquistas no Brasil. Open Minds International Journal, 2(2), 82-94. https://doi.org/10.47180/omij.v2i2.122
Seção
TEMÁTICA: Ensino de línguas na atualidade: novas práticas, métodos e desafios