ESTUDOS DO LÉXICO NA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

APLICAÇÕES EM SALA DE AULA

  • Joni Fontella Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE
  • Andressa Boveto Discente do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), nível de Mestrado, com bolsa CAPES.
  • Daniela Hillesheim Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE. (Mestrado)
  • Rosemary Zanette Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)
Palavras-chave: Ensino, Línguas estrangeiras, Léxico, Formação de Professores

Resumo

O objetivo deste artigo é discorrer sobre o curso de extensão “Estudos do léxico e aplicações no ensino de línguas estrangeiras, realizado e promovido pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), em 2020. O objetivo principal foi apresentar diferentes aspectos dos estudos lexicais que podem ser utilizados em sala de aula. Como referencial teórico foram utilizados autores fundamentais para a área, como Biderman (1998, 2001a, 2001b), Barbosa (1990), Celani (1998) e Duran (2004, 2007), bem como autores complementares para a temática de cada módulo. Assim, o artigo trata da organização do curso, de desenvolvimento e da análise dos resultados, baseados em um questionário aplicado ao final dos módulos. A maioria dos cursistas apontaram que ainda não tinham uma base teórico-metodológica dos estudos do Léxico para o trabalho com o ensino de LEs. Como conclusões, os cursistas afirmaram ter suas expectativas cumpridas, bem como afirmaram que pretendem utilizar as atividades propostas pelos ministrantes em suas práticas docentes.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joni Fontella, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE

É doutorando em Letras pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE, e bolsista CAPES. É mestre em Letras pela mesma instituição e possui especialização em Tradução pela Universidade Estácio de Sá (2014) e em Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa e Línguas Estrangeiras pela UNINTER (2012). Graduado em Letras (português/inglês) pela UNIOESTE (2011).

Andressa Boveto, Discente do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), nível de Mestrado, com bolsa CAPES.

Discente do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), nível de Mestrado. Graduada em Letras - Português/Inglês e respectivas literaturas pela Unioeste. Também atua como professora de Língua Inglesa.

Daniela Hillesheim, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE. (Mestrado)

Possui graduação em Letras Português/Inglês pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE). Mestrado em andamento (2021) em Letras, também pela UNIOESTE. Possui especialização lato sensu em Metodologia do Ensino de Língua Inglesa (2017). Atua como professora na Secretaria de Educação do Estado do Paraná na Educação Básica.

Rosemary Zanette, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

Professora Associada da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, efetiva, desde 2006. Tem Bacharelado e Licenciatura em Italiano/Português, Doutorado e Pós-Doutorado (2016). Atua na área de Língua Italiana na Graduação e na Pós-Graduação trabalha principalmente com os estudos do léxico geral e especializado.

Referências

BARBOSA, Maria Aparecida. Lexicologia, lexicografia, terminologia, terminografia, identidade científica, objeto, métodos, campos de atuação. In: Anais do II Simpósio Latino-Americano de Terminologia. I Encontro Brasileiro de Terminologia Técnico-Científica. Brasília, 1990.

BIDERMAN, Maria Teresa Camargo. Dimensões da palavra. In: Filologia e Lingüística Portuguesa, n. 2, p. 81-118, 1998.

BIDERMAN, Maria Teresa Camargo. Teoria lingüística: teoria lexical e lingüística computacional. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001a.

BIDERMAN, Maria Tereza Camargo. As ciências do léxico. In: OLIVEIRA, Ana Maria Pinto Pires de; ISQUERDO, Aparecida Negri Isquerdo. As ciências do léxico: lexicologia, lexicografia, terminologia. 2. ed. Campo Grande: UFMS, 2001b.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular: Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. Brasília: MEC/SEB, 2017.

CELANI, Maria Antonieta Alba. A retrospective view of an ESP teacher education programme. The ESPecialist, v. 19, n. 2, p. 233-244, 1998.

CONSELHO DA EUROPA. Quadro europeu comum de referência para as línguas: Aprendizagem, Ensino, Avaliação. 1. ed. [S.l.]: Asa, 2001.

DETERDING, Sebastian. From Game Design Elements to Gamefulness: Defining “Gamification”. 2011. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/230854710_From_Game_Design_Elements_to_Gamefulness_Defining_Gamification. Acesso em: 10 mar. 2020.

Dicionário de termos linguísticos. Disponível em: http://www.portaldalinguaportuguesa.org/?action=terminology&act=view&id=3556. Acesso em: 19 nov. 2020.

DUDLEY-EVANS, Tony; ST. JOHN, Maggie Jo. Developments in ESP: a multidisciplinary approach. Cambridge: Cambridge University Press, 1998.

DURAN, Magali Sanches. Dicionários bilíngues pedagógicos: análise, reflexões e propostas. 133 p. 2004. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual Paulista. Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas.

DURAN, Magali Sanches; XATARA, Claudia Maria. Lexicografia pedagógica: atores e interfaces. Delta, v. 23. n. 2. p. 203-222. São Paulo: PUC, 2007.

DURAN, Magali Sanches. O ensino do uso do dicionário aos aprendizes de língua estrangeira: quem se importa?. Revista do GEL, v. 5. n. 2. p. 199-212. São Paulo: GEL, 2008.

DURAN, Magali Sanches; XATARA, Claudia Maria. Reflexos da evolução do ensino de línguas na lexicografia bilíngue. Trabalhos em linguística aplicada, n.47. p.241-250. Campinas: UNICAMP, 2008.

FARIAS, Virginia Sita. Descrição semântica em dicionários para aprendizes de espanhol: o problema das palavras gramaticais. Domínios de Lingu@agem, v.12. n.4. p. 2204-2239. Uberlândia: UFU, 2018.

HUTCHINSON, Tom; WATERS, Alan. English for specific purposes. Cambridge: Cambridge University Press, 1987.

FENTON, Linda; MCLARTY, Penny. Welcome to Brazil. Oxford: Oxford University Press, 2011.

FERNANDEZ, Dolores Azorín. La lexicografia como disciplina linguística. In: GUERRA, Antonia María Medina (coord.). Lexicografia Espanola. Espanha: Ariel, 2003.

LISKA, Geraldo José Rodrigues. Gamificação e ensino do léxico na aprendizagem da língua portuguesa. Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo, v. 15, n. 2, p. 230-248, n. 2, maio/ago. 2019.

NESI, Hilary. The specification of dictionary reference skills in higher education: the state of the art. In: HARTMANN, Reinhard. Dictionaries in language learning:
recommendations, national reports, and thematic reports from the TNP Sub-
project 9: dictionaries. Berlim: Freie Universität, 1999. p. 53-67.

PANE. In: Dizionario di Italiano Hoepli Editore.it. Disponível em: https://dizionari.repubblica.it/Italiano/P/pane.html. Acesso em: 16 abril 2021.

UNESCO. UNESCO policy guidelines for mobile learning. França: UNESCO, 2014. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000219641. Acesso em: 10 set. 2020.
Publicado
2021-09-17
Como Citar
Fontella, J., Boveto, A. ., Hillesheim, D., & Zanette, R. (2021). ESTUDOS DO LÉXICO NA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: APLICAÇÕES EM SALA DE AULA. Open Minds International Journal, 2(2), 70-81. https://doi.org/10.47180/omij.v2i2.115
Seção
TEMÁTICA: Ensino de línguas na atualidade: novas práticas, métodos e desafios